:: 08/09/2014
:: Portos do estado têm boas "notas"


Portos do estado têm boas "notas"

Os portos pernambucanos estão bem no contexto geral, mas precisam de pequenos ajustes para otimizar as operações. A ?nota? é do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Efluentes, desenvolvido pelo Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais (IVIG), do Rio de Janeiro, e trata dos portos do Recife e de Suape dentre 22 ancoradouros. No fim do programa, foi produzido um manual de boas práticas a cada um dos portos participantes. Entre os pontos positivos, destaque para Suape, que tem desperdício bastante reduzido na movimentação de grãos. O Porto do Recife também atende requisitos como uma área para transbordo temporário eficaz, diferentemente da maioria dos portos do projeto. Negativamente, ambos precisam evoluir na questão do tratamento e coleta de esgoto.

O coordenador do IVIG e deste documento, professor Marcos Freitas, destaca que os portos brasileiros precisam de ajustes por serem antigos, sendo a maioria construída antes mesmo das leis ambientais entrarem em vigor. "A gente sabe que tratar resíduo é muito oneroso. No Porto de Recife, a movimentação açúcar, trigo e cevada atrai animais nocivos, especialmente pombos, pois há abundância de resíduos dispersos para sua alimentação. Há ainda instalações com problemas estruturais, servindo como área de abrigo e formação de ninhos, irregularidades nos pisos e lajes, prejudicando a drenagem, provocando acúmulo de águas pluviais e de resíduos dispersos", afirmou.

Segundo ele, o manual propõe melhorar estruturas, equipamentos e procedimentos na movimentação dos grãos, até porque o Porto do Recife é muito central e tem uma integração com a cidade. "Em resumo, dos 22 portos, Recife está em um padrão bom para resíduo sólido, mas tem que se esforçar no efluente líquido e de fauna. O porto melhorando, ganha nessa integração, principalmente quando se é uma cidade turística", complementou.

Em relação ao Porto de Suape, a primeira afirmação do coordenador é elogiar que a movimentação de grãos é bastante eficiente. "Sem desperdício, adota esteiras precisas e minimiza essa questão da fauna. Suape ainda tem um 'cinturão' verde do lado e que tem ave de rapina, afastando os pombo", pontuou. Marcos Freitas garante que há coisas que dá para melhorar, como o tratamento de água de chuva, que poderia avançar na drenagem. "Sabemos da complexidade de intervenções em um porto grande. Uma atenção e que se torna sugestão é com a questão de resíduos oleosos", pontuou. O levantamento contou com cerca de 300 pesquisadores dos centros de engenharia e biologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Fonte: Tecnologística



. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Página Desenvolvida pela Brasilnet®

 
Publicidade:





 
 

 

 

 

   
 
 
 

 
    

Publicidade: